Categoria Tragédia  Noticia Atualizada em   01/04/2008   às  14:01:59                   
Obra do expresso tiradentes desaba
Prefeito disse, porém, que vai aguardar resultado de investigações sobre o acidente. Na noite de segunda, trecho de parte elevada pendeu sobre o Viaduto Grande São Paulo
Foto: Reprodução
 
Leia Também
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), afirmou, em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (1º), que “evidentemente” haverá punições para o consórcio que executa a obra do Expresso Tiradentes. Na noite de segunda-feira (31), um trecho de 64 metros da parte elevada que vai compor o corredor pendeu sobre o Viaduto Grande São Paulo, que teve de ser totalmente interditado.

Pelos cálculos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), 8 mil veículos passam pelo local nos horários de maior movimento. Segundo Kassab, o contrato entre a prefeitura e o consórcio responsável pela obra prevê punições em casos de problemas como este. "Evidentemente que terá punição", declarou, ao visitar o local.

O prefeito afirmou, no entanto, que vai aguardar a conclusão da sindicância aberta para a apurar as causas do acidente. Um relatório parcial deve ser apresentado ainda nesta terça-feira. Até as 10h, o G1 não conseguiu contato com o consórcio. Kassab negou que tenha havido falha da fiscalização da prefeitura na obra e garantiu que, após ser resolvido o problema, a estrutura oferecerá segurança aos usuários.

Guindastes
De acordo com o engenheiro Pedro Pereira Evangelista, diretor de infra-estrutura da SPTrans, a construção do trecho elevado é feita por avanços sucessivos de partes que são equilibradas lado a lado. As estruturas possuem um suporte no meio que fazem que fiquem como se fossem gangorras.

Segundo o engenheiro, dois guindastes estão trabalhando para resolver o problema. Um deles, que pesa 120 toneladas, vai começar a colocar pesos sobre a parte que está mais alta para que ela desça e volte à posição horizontal. Um outro guindaste, de 240 toneladas, vai segurar a estrutura para que ela desça suavemente. De acordo com o engenheiro, não houve danos à estrutura do viaduto pois o mesmo não está suportando todo o peso do trecho que pendeu.

O trecho elevado faz parte das obras do Trecho 3 do Expresso Tiradentes, que deve ligar o Parque Dom Pedro II, no Centro de São Paulo, até o bairro de Cidade Tiradentes, no Extremo Leste da capital. Até agora, a prefeitura concluiu dois trechos da obra, que totalizam 8,5 km, do Centro até o Sacomã. O trecho onde houve o problema na noite de segunda prolongaria o corredor até o bairro da Vila Prudente, na Zona Leste.

Liberação
O Viaduto Grande São Paulo deve ser liberado para o tráfego de veículos a partir das 17h desta terça-feira, segundo afirmou esta manhã o secretário municipal de transportes, Alexandre de Moraes. A previsão inicial era de liberação às 13h.

De acordo com o secretário, o viaduto só será liberado quando for constatado que o problema não oferece mais risco para os motoristas. “Não podemos apressar os trabalhos para não haver risco para ninguém. As pessoas devem ter paciência e evitar a região. Foi algo imprevisível”.

O secretário afirmou que durante a madrugada se reuniu com o prefeito Gilberto Kassab e representantes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para montar um plano de emergência para a região.

Bloqueios
Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o primeiro bloqueio na região foi feito na Avenida Luiz Inácio de Anhaia Melo, sentido Vila Prudente, na altura da Rua Maria Daffré. Os motoristas que seguem neste sentido devem desviar pela Rua Maria Daffré, entrar no Viaduto Pacheco Chaves, Rua dos Patriotas e Rua Silva Bueno.

O segundo bloqueio, de acordo com a CET, foi feito na Avenida Francisco Mesquita, sentido São Paulo, na altura do Viaduto Grande São Paulo. Para este trecho não há desvio e a CET pede aos motoristas que evitem a área.

A terceira interdição foi feita na Avenida do Estado, sentido Vila Prudente, na altura da Avenida das Juntas Provisórias. O desvio é feito pelas ruas 1822, Dom Lucas Obes até chegar na Avenida Das Juntas Provisórias.

O último bloqueio está no acesso da Avenida das Juntas Provisórias, sentido Vila Prudente, para o Viaduto Grande São Paulo. O desvio é feito pela Avenida das Juntas Provisórias, Viaduto Gazeta Ipiranga e Avenida do Estado. Deste ponto, o motorista pode optar entre seguir pelo Viaduto Pacheco Chaves, entrar à direita na Rua Dianópolis e à esquerda na Luiz Inácio de Anhaia Melo.

Filas
Às 10h, a pista expressa da Avenida Salim Farah Maluf tinha o segundo pior trecho de lentidão da capital. O motorista enfrentava 4,9 km de congestionamento no sentido Vila Prudente da Rua Toledo Barbosa até a Avenida Luiz Inácio de Anhaia Mello. No sentido marginal, eram 2 km de lentidão, entre a Rua Demétrio Ribeiro e a Ponte do Tatuapé.

A Rua das Juntas Provisórias tinha 1,9 km de tráfego ruim, desde a Avenida Almira até o Viaduto Grande São Paulo.

Nesse horário, a cidade registrava 75 km de lentidão, sendo que 27 km estavam na Zona Sul e 21 km na Zona Leste.

Fonte:

Acesse o G1

 
Por:  Giulliano Maurício Furtado    |      Imprimir